RSS

Arquivo da tag: silêncio

Divagação momentanea ..

Passeando pelos rascunhos que tenho do blog encontrei esse textinho de muito tempo atrás, no fundo do “baúzinho” dos rascunhos.. e que vou compartilhar com vocês leitores do blog.

E para não perder o costume, uma música para acompanhar. A música da vez é Last Kiss da banda Pearl Jam. Uma das bandas de rock internacional que eu mais gosto.

~~

~~

Ele não sabia o que dizer, ela esperando algo acontecer.
A angústia foi tomando conta, será que as palavras não viriam?!
O silêncio fúnebre tomou conta, e  um turbilhão de ideias massacravam sua mente sem ao menos conseguir organizá-las.
Olhos nos olhos, não precisavam de mais nada, seus olhos se encarregavam de todo o assunto que, momentaneamente evaporou, virou ideias esquecidas mas que ainda estavam na ponta da língua.
Desespero? Melancolia? Angústia? Falta de coragem, timidez? Talvez,  mas não era qualquer sentimento, era mais que isso, um sentimento que era recíproco entre os dois, que causa ciúmes e discussões, que dá um ar de que a outra pessoa é sua propriedade.. que corrói, que é sôfrego, que cura que alegra.. que sentimento mais esquisito esse, que é os dois lados da moeda, que machuca e também cura que é veneno e antídoto?! Que pode ser inventado, mas que também pode ser real, um sentimento tão puro e grande, imensurável mas que cabe num lugarzinho tão humilde e pequeno que é o coração.. esse sentimento tão sofredor, imenso, maravilhoso, as vezes soberbo mas também tão humilde? Aqueles olhos que se conversavam sem sair uma palavra sabiam, pois expressavam e exalavam o mais puro AMOR.

Anúncios
 
 

Tags: , , , , , , , ,

Chuva..

Poema .-.

Chove. Há Silêncio

Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego…

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece…

Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente…

Fernando Pessoa, em “Cancioneiro”

 
Deixe um comentário

Publicado por em 23/04/2012 em Reflexão

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

Ah, o amor..

 

As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar- Leonardo da Vinci

 
4 Comentários

Publicado por em 01/03/2012 em Reflexão

 

Tags: , , , ,